• Lisa Yang

Suspiria (1977) um horror de bruxas, cores vivas, psicodélico e fantasmagórico

Atualizado: 11 de Dez de 2021


*contem spoilers*

é difícil falar sobre um dos maiores clássicos de horror de todos os tempos. obra-prima dirigida pelo dario argento e roteiro dele, e de sua mulher, daria nicolodi. eu vou trazer a sinopse e assim começo a falar minha experiência com o filme e sobre o que se trata.

THE MOST FRIGHTENING FILM YOU’LL EVER SEE!
A partir do momento em que chega a Freiberg, Alemanha, para frequentar a prestigiosa Tanz Academy, a bailarina americana Suzy Bannion sente que algo horrivelmente maléfico se esconde dentro das paredes da antiga instituição.

primeiro, vale salientar que este clássico não surgiu de uma ideia puramente original do argento, é inspirado em ´´suspiria de profundis´´, de thomas de quincy, que foi um escritor e critico literário. que viveu entre 1785 e 1859. ou seja, toda essa historia e mitologia de bruxaria não veio da genialidade do argento. e mais um adendo, por mais que ele seja um mestre de horror, talvez o maior do cinema. italiano pelo menos, com varios giallos na sua filmografia, muito do mérito do roteiro de suspiria e outros trabalhos que viriam a vir posteriormente (inferno 1980) muito se devem a daria nicolodi, atriz e roteirista italiana que infelizmente faleceu em 2020. foram varios trabalhos colaborativos. e a contra-gosto do argento, ela quase não é creditada. fora a curiosadade dela não protagonizar o filme, pois o estúdio queria uma atriz americana para atrair mais publico. e não dá, gente, este marco que foi este filme, se deve essencialmente a ela, essa mudança de tom entre o giallo e euro horror sobrenatural foi por conta dela. então acho valido ressaltar. A daria nicolodi enquanto viva era muito ativa nas redes sociais tanto que uma vez falou: ´´tudo em suspiria pertence a mim.´´ e tem mais uma historia de bastidores curiosa, a vô, da nicolodi contava historias para sua neta e uma vez, comentou que quando foi para um conservatorio aprender musica, descobriu que em segredo praticavam magia oculta/negra. basicamente ela meteu o pé haha. então toda essa parte do argumento, base textual, foi dela. até varias pesquisadoras mais aprofundadamente apontam isso. ela foi uma realizadora seria igual seu marido. e se você tem alguma duvida sobre a importância dela na narrativa e qualidade dos filmes, é so ver o fracasso que foi o ultimo filme da trilogia. em termos de escrita e qualidade mesmo.


dito isso, vou encerrar esse marco desta critica falando do diretor de fotografia que foi fundamental para que o filme funcionasse. o luciano tovoli. ele sugeriu, obviamente todo o visual encantador que suspiria tem. e uma das maiores inspirações que o argento teve foi a branca de neve e os sete anões, é engraçado. mas todo o trabalho de pós-produção, em relação a composição visual dos cenários e paleta de cores é correspondente a ele, luciano. brincando com as cores básicas: vermelho, azul e amarelo. mas eles fizeram um trabalho bem interessante de aproveitamento com essas cores básicas, um uso de tecnicolor antigo para enfatizar a vivacidade dessas ditas cores tão marcantes. e claro, não dá para separar neste caso a estética psicodélica e de certo modo até um pouco surrealista da trama.

acho também interessante o uso da violência estilo gore que veio se popularizar com os giallo e na década de 80. temos no inicio uma mulher sendo enforcada, outra morrendo em um arame farpado. e um homem sendo devorado pelo seu próprio cachorro, que até então demonstrava controle e certa educação. só complica um pouco quando um espirito tenta tomar posse de você, né. vejo pouca gente falar da violência em suspiria...

já que falei deste homem, pianista, falemos de gênero. neste filme, temos a presença majoritaria de mulheres, as dançarinas e as bruxas mesmo, é um filme extremamente feminino. tudo gira em torno da feminilidade e monstruosidade envolvevendo a protagonista suzy bannion (jessica harper) e as outras coadjuvantes. o misterio e a construção de mise-en-scène.

agora, queria trazer mais uma curiosidade, na verdade duas. a primeira era que o lendario produtor de filmes, Salvatore Argento, pai do dario fez uma sugestão pro seu filho no roteiro que era mudar a faixa de idade das mulheres presentes no filme, que inicialmente teriam entre 11 e 12 anos. é por isso que temos toda uma linguagem meio infantil para essas mulheres já adultas. como duas se mostrando as linguas. mas teve uma rebeldia cômica do dario, que foi uma provocação ao alterar a altura das maçanetas para que as atrizes, tivessem dificuldade como crianças, para abrirem as portas.

o outro fato é que o ator udo kier, que ficou conhecido no brasil pelo seu papel em bacurau, tinha na época uma agenda bem lotada. o que fez colocarem um figurante atrás dele numa cena de um dialogo para repassar as falas, rs. agora vou so elogiar a banda goblin que compôs e conduziu a trilha sonora icônica de suspiria. para terminar vou falar um pouco sobre as três mães, que dão todo o tom obscuro desta trilogia, (o começo dela sendo suspiria) elas são: Mater Suspiriorum / Helena Markos é a mais velha e mais sábia das Três Mães. Seu nome de batismo é Helena Markos. Ela também é conhecida como The Black Queen; qualquer menção de Helena Markos como uma das Três Mães não seria feita até o Inferno, três anos depois. Lela Svasta, que interpretou Markos em Suspiria, não foi creditada. De acordo com Jessica Harper, "a bruxa era uma ex-prostituta de 90 anos que Dario encontrou nas ruas de Roma." Mater Tenebrarum é a mais jovem e cruel das Três Mães. Seu verdadeiro nome não é dado; sua casa está localizada na cidade de Nova York e foi batizada em 1910. O número da casa é 49 e tem uma placa que indica que Georges Ivanovich Gurdjieff morou lá. e a ultima, Mater Lachrymarum é a mais bela e poderosa das Três Mães. Como Tenebrarum, seu verdadeiro nome é desconhecido. Inferno sugere que sua casa em Roma, Itália, pode estar localizada perto do nº 49 da Via Dei Bagni - a Biblioteca Filosófica da Fundação Abertny - quando Sara (Eleonora Giorgi) percebe um estranho cheiro doce no ar. Em A Mãe das Lágrimas, a casa de Lachrymarum é revelada como o Palazzo Varelli. no geral, eu poderia falar mais sobre a origem delas, no seculo XIX, mas acho que é melhor so deixar a deixa, e vocês mesmos irem conferir esta trilogia, que começa muito bem e pela falta da nicolodi fracassa muito. um verdadeiro clássico. so acho legal terminar citand0 suspiria de 2018 dirigido e escrito pelo luca. que explora mais a própria dança em si, um bom reboot. pra mim suspiria de 1977 é simplesmente um conto de fadas. esqueci. sobre o final eu acho condizente com a proposta (recheada de arquétipos) na primeira que vi pensei: ´´ah não possivel que a bruxa mais uma vez vai queimar´´, mas após rever algumas vezes comecei a gostar pois o encerramento é direto e objetivo, a protagonista fecha seu conflito interno e consegue sobreviver. as consequências disso são a morte das que antes tinham infernizado sua vida.



42 visualizações