• Lisa Yang

el espiritu de la colmena | critica

Atualizado: 11 de Dez de 2021


"el espiritu de la colmena,

¿donde está? ¿en quien se encarna...?"


'el espiritu de la colmena' (1973) é um filme que me marcou muito. e assim, marcou o cinema español. é impossível falar, ou distanciar-se do tema, sem mencionar este clássico que surgiu num período onde o cinema de lá, passava já por dificuldades depois da guerra civil dos anos 40 e o modernismo trazido pela ditadura do Franco. muitos filmes foram censurados durante esses anos (40-60).

este filme rompeu barreira de linguagem e até hoje continua sendo um dos maiores marcos sobre a infância, já feitos.

e tudo isso pautado no horror, na fantasia, na realidade, no onírico, na amizade. e mais do que tudo na descoberta de pequenas crianças e a morte da inocência. vou trazer uma breve sinopse e assim começo a falar mais aprofundadamente sobre o filme. ana torrent pequena atriz, intertreta Ana uma garota que vive num 'pueblo' isolado do mundo com uma irmã, e dois pais. e essa família é super disfuncional. os pais não se amam. mas as crianças têm um forte laço de irmandade e senso de preocupação uma pela outra. ainda assim o ponto de ruptura é no trauma da Ana, que após ver pela primeira vez Frankenstein, o filme, entra num colapso mental e não consegue ter mais a vida que tinha antes. ela é corajosa, assim como coraline, mas após ver o filme fica em choque completa, asustada, a coitada. depois disso tudo vira um despertar de día e noite das pequena saídas da garota pelo bairro. é basicamente isso. agora vou desenvolver mais o texto.

é dito no documentário: 'huellas de un espiritu' (1998) que tudo surgiu de uma fotografia de Frankenstein de James whale (1931) onde centralizado, estão o monstro e uma menina na famosa cena do assassinato no lago. também surgiu de uma obsessão que o victor e o roteirista tinha pela lenda de Frankenstein, tanto a versão da universal, quanto a da Mary shelley. por isso acho que este filme, no título inglês, the spirit of the beehive tem tanto a ser comparado com um curto conto literário. é dito nesse mesmo documentário, que a ideia original era fazer um filme inteiramente de gênero, mas por circunstâncias de baixo orçamento, tiveram que fazer uma "versão mais caseira". ou seja, mais dramática. e eles conseguiram, pois se um filme é o resultado estético do processo de produção, este filme é muito assim. muito isso.

mas enfim. vou separar esta crítica por dois tomos. o trauma e a amizade.

O TRAUMA: após ver um filme, uma menina fica perplexa. todas as pessoas já tiveram sua fase na infância. a psicologia diz que a parte mais vital de uma pessoa é quando criança, pois é aí que a personalidade nasce e começa a ser criada. eu tive a minha na españa também, num orfanato, não era um lugar ruim, mas também não era bom. e me relaciono muito com a ana, porque depois do trauma, ela se sentia desamparada num mundo tão enorme e vasto. repleto de incertezas, tanto que lá pro final ela foge. e foge não apenas das responsabilidades, mas de si mesma. o trauma é algo que pode ser muito destrutivo, e se com cuidado pode ser esquecido. mas em 'el espiritu de la colmena' ele é desolador. é falado em uma cena que o cinema é uma mentira, é um truque, e sim, eu concordo. a mise-en-scène do Victor erice captura tão bem elementos naturais, com uma cinematografia espetacular e uma trilha sonora que cheira a infância.

no geral, mais do que tudo, o trauma neste filme pode servir como metáfora do trauma da españa após a ditadura do franco. foi um erro irreversível. assim como é falado também no documentário. uma ferida aberta. a cultura de um povo a mercê de sanguinários estatais.

A AMIZADE: lá para a 1h e 10m, a Ana é confrontada por sua razão humana ao se deparar com um homem ferido que tinha acabado de cair do trem que tempo atrás ela tinha ficado brincando com sua irmã. essa amizade, é o despertar da incerteza, do novo, do diferente, da experiência singular do viver. ela se encontra lá com ela mesma, pois é onde nutre humanidade em sua essência. onde ajuda um homem que havia sido perseguido e depois é mostrado de forma trágica, a lá shakespeare, que é morto a balas. e considero muito poético o fato do homem ser levado ao lugar onde foi projetado o filme. porque assim como os filmes renovam a vida e dão mais sentido, a morte vem e se ocupa do mesmo lugar. pois a morte faz parte da vida. e a vida faz parte da morte.

acho que você, leitor (a), (e) já deve ter percebido a importância deste filme para mim e para a história do cinema mundial. ninguém nunca conseguiu descrever ao certo qual o gênero deste filme. pois na verdade, ele não tem. é uma mistura de drama com horror, com fantasia. e psicologia também. dizem que as abelhas tem uma rainha, onde seus servos são o que são para servi-la, e assim que ela morre, seus servos também ou deixam de ter propósito. acredito que 'el espiritu de la colmena' foi assim para o cinema español, uma peça fundamental para a construção de um dos lugares mais prolíficos de todos os tempos, para arte. o final continua sendo deslumbrante como sempre. que final lindo! que filme!


é interessante percebermos também como a casa dessa família é uma alegoria a uma colmeia, e como o pai ama mais suas abelhas do que a propia criação das suas filhas. a relação entre eles é quase inexistente. são poucas as cenas em que estão juntos. tem outra coisa, o som, é quase completamente ausente. as vezes você escuta o barulho de abelhas, e isso lembra que uma hora você precisa amadurecer e sair da colmeia. sair pro mundo. viver.




36 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo